Capacitação de executivos Angolanos em Belo Horizonte: A Ventura de Aprender

O que tem a ver com Gestão de Empresas:

a)     Aprender a selar e montar um cavalo?

b)     Escalar paredões na Serra do Cipó?

c)     Aprender a inflar bote e fazer canoagem?

d)     Conhecer as propriedades terapêuticas das plantas do cerrado e campos rupestres, in loco?

e)     Ter que produzir um prato da culinária alemã (senão o almoço não sai)?

Tudo a ver. Afinal, a vida executiva é feita de desafios diários. É feita também de estimular pessoas a aprenderem o que não sabem, reverem o que sabem e a superarem seus limites.

Por isto o Programa Intensivo de Capacitação em Gestão de Negócios e Oratória – GNO, organizado pela FF Digital Tecnologia, Treinamento e Desenvolvimento e coordenado pelo Prof. Lúcio Fonseca, já em sua 4a. edição anual, sempre incorpora atividades de eco-treinamento e outras das mais inusitadas na sua variada grade.

Voltado para executivos angolanos da mineração de diamantes e ferro,  o GNO tem ainda aulas com consultores especializados em Gestão e nas atividades de mineração, visitas técnicas a empresas de classe mundial e um curso de Oratória, para desenvolver as habilidades de comunicação.

O Programa é um sucesso e já se tornou uma tradição entre os executivos angolanos. Vários participaram pela 4a. vez e já confirmaram presença no próximo, que, por sugestão dos próprios participantes, será também aberto para executivos de outras áreas. Afinal, os princípios de uma gestão de excelência são os mesmos para empresas de qualquer ramo e de qualquer porte.

As aulas teóricas são dadas, normalmente, num hotel-fazenda (neste ano, excepcionalmente, foram dadas num hotel urbano, em Vespasiano, pela proximidade com os locais a serem visitados). A descontração é uma marca registrada: poder assistir às aulas de bermuda e chinelos, por exemplo, ajuda os participantes a se despirem das convenções e relaxar o espírito, concentrando-se no essencial, que é mergulhar de cabeça na experiência e aprender muito. Como nós mesmos aprendemos, seja com as variadas experiências e conhecimentos dos participantes, seja ao ver a admirável capacidade dos amigos angolanos, independente da idade (alguns cortejam a casa dos 70), em enfrentar e vencer obstáculos, sem se furtar à luta. Isto nos obrigou, não sem muito esforço, a acompanhá-los em todas as aventuras, o que muito nos enriqueceu.

Aliar descontração, variedade, alegria e eficácia; professores e alunos vivenciando “juntos e misturados” a ventura de aprender: uma boa receita para aprender em profundidade, divertindo muito. Que vale também para as escolas, que precisam descobrir logo que ninguém quer – nem precisa mais – aprender sofrendo.

Alguns depoimentos:

Prof. Lúcio,

Obrigado por tudo e, sobretudo, pela paciência, pois temos consciência de que, quando no GNO, libertamos a criança que há dentro de nós e somos que nem meninos do colégio.

O GNO tem sido muito útil. Hoje mesmo fui palestrante num evento e, como último palestrante, foram-me úteis os ensinamentos da Oratória para manter a audiência acordada e, por incrível que pareça, consegui!

 (Eng. Paulino Neto – Vice-Presidente da Escom Minning)

 O GNO é um curso que satisfaz a todos os dirigentes e responsáveis angolanos. Teremos que incentivar que mais angolanos frequentem o referido curso, para poderem melhor gerir as suas empresas ou a coisa pública.

Esperemos e façamos votos que o próximo ano tenha mais gente.

 (Eng. José Dias – Presidente do Conselho de Associados – Projeto 1 – Escom Minning)

Prof. Lúcio,

Mais uma vez agradeço a oportunidade que nos vem dando em  podermos continuar no processo de aprendizagem e permitir que possamos passar àqueles que conosco trabalham no dia-a-dia os conhecimentos que recebemos dos professores durante os dias que permanecemos em B.H.

 (Dr. Artur Gonçalves – Gerente de Operações Mineiras do Projeto Mineiro do Chitotolo)

Sem comentários
Comente