Da realidade angolana às reflexões sobre a Páscoa

Tenho tido o privilégio de passar parte do meu tempo em Angola, país irmão, recém-saído de quase 30 anos de guerra. Paralelamente ao trabalho, vou registrando, com minha inseparável companheira digital, o que os olhos vêem e o coração enxerga (ou vice-versa).

Com todas as dificuldades, mas consistentemente, o país vem construindo sua passagem de uma pobreza ancestral para um futuro muito mais promissor. Como sempre, a educação é o instrumento e o esforço conjunto de profissionais brasileiros e angolanos, entre os quais tenho a honra de me incluir, vem contribuindo para produzir a transformação.

Páscoa é passagem. Com fé e determinação, Angola constrói a sua, mostrando que é possível ter esperança, a despeito de todas as adversidades. Que nos sirva de estímulo, para que, também com fé, determinação e trabalho, contribuamos todos para construir a passagem para um mundo melhor do que este que temos hoje.

Boa Páscoa!

Sem comentários
Comente