Gestão planetária: um filme, uma preocupação, uma disposição
Dia desses, fui ao cinema. E voltei muito preocupado e disposto a fazer algo. Começo por este texto. Assisti a “Uma verdade inconveniente” (An inconvenient truth), uma extraordinária contribuição de Al Gore – o quase Presidente dos Estados Unidos – à compreensão do que é o aquecimento global e as dramáticas conseqüências que já estão em curso, bem como as piores que podem vir. Embora tratando de um tema tão incômodo, o tom do filme é leve – Al Gore se revela um palestrante de humor refinado e capacidade de magnetizar as platéias. Começa mostrando a beleza e fragilidade de...
Admirável Educação para um admirável mundo novo
“Um indivíduo consegue hoje um diploma de curso superior sem nunca ter aprendido a comunicar-se, a resolver conflitos, a saber o que fazer com a raiva e outros sentimentos negativos” (Carl Rogers) Século XXI: uma poderosa conjugação de quatro grandes forças redesenha o mundo. A globalização, a supremacia dos serviços sobre a indústria, o conhecimento substituindo a terra, o capital e o trabalho como grande gerador de riquezas, e, finalmente, a tecnologia, como o meio pelo qual as outras forças atuam. O advento da Sociedade do Conhecimento, aliada ao vertiginoso avanço tecnológico, trouxe profundas transformações para a humanidade em geral...
Educação, Limites e Sociedade: lá como cá, coincidências há (Ô Pá!)
Em meio ao muito joio que se recebe pela Internet, há também muito trigo. Recebi de um amigo (que recebeu de um amigo, que, por sua vez, recebeu de um amigo, que, a seu turno, recebeu de um amigo…) o texto abaixo, produzido em terras d’além mar. Por sua propriedade (quase) universal e pela conexão com os tempos atuais, permiti-me publicá-lo neste espaço, que tenho reservado, em geral, para minhas próprias reflexões. Confira se as semelhanças são meras coincidências. A escola que temos não exige a muitos jovens qualquer aproveitamento útil ou qualquer respeito da disciplina. Passa o tempo a...
Escola e empresas: aprendendo uns com os outros
Competição, dificuldade de captação de novos alunos, evasão, inadimplência: democraticamente, a escola (em especial a particular) compartilha com as empresas problemas muito similares. Ao contrário destas, que vêm buscando incessantemente formas novas de abordar estes antigos problemas, a escola vem repetindo, insistentemente, velhas fórmulas – fazer mais publicidade e “apertar a cobrança” são algumas delas, com pouca ou nenhuma eficácia mais. Nos aspectos ligados ao “relacionamento com os clientes”, as escolas se atêm às aulas, para os alunos, e às surradas “reuniões de pais” , a que “só comparecem mães”, como dizia o cronista, e nas quais “os que precisavam”...
Há exatos 20 anos, em Pequim
Em julho de 1986 – exatos 20 anos atrás – eu estava em Pequim, numa viagem que incluiu também o Japão, a Tailândia e Hong Kong. Era meu último ano no Iraque (onde vivi por cinco anos) e quis aproveitar a distância relativamente pequena para fazer uma viagem por estas paragens exóticas e fascinantes. Compus, na época, um áudio-visual, com textos e slides (daqueles antigos mesmo, que tirei e adquiri) sobre cada um destes países, contendo minhas emoções e impressões de viagem. Ao longo dos anos, o exibi para muitos alunos, professores e amigos. Agora digitalizado, disponibilizo-o, em forma de...
Morrer rico é burrice!
Há muitos anos, ouvi uma entrevista de um grande empresário na área de mineração, com atuação no interior da Bahia (que perdoe minha memória, que agora me trai e não me deixa lembrar seu nome). A entrevista tinha como tema o fato de que ele havia construído e mantinha várias escolas para alunos carentes, inclusive pagando professores e funcionários, somente com seus próprios recursos. O repórter não entendia porque uma pessoa se dispunha a lançar mão de seus recursos financeiros pessoais para fazer algo que “deveria ser feito pelo poder público”. Ele respondeu mais ou menos assim: “Nasci pobre e...
É a causa, meu filho!
“Enxugar gelo” é uma das expressões semanticamente mais felizes que conheço. Poderia ser considerada a versão tupiniquim do mitológico Suplício de Sísifo. Condenado a empurrar um imenso rochedo montanha acima, o pobre coitado, todas as vezes em que quase chegava ao topo, via seu inaudito esforço literalmente rolar ladeira abaixo, tendo que começar tudo de novo, pelos séculos dos séculos. A “enxugação de gelo” é mais ou menos isto. Colocar um pano de chão na torneira que insiste em pingar – e, a cada cinco minutos, torcer o pano no balde; e a cada vinte minutos, jogar a água do...
Gestão pública: definindo o Norte para uma nau sem rumo
Estamos vivenciando um momento trágico/especial no país. Trágico pela exposição de vísceras. Especial pela oportunidade. Talvez agora “caia a ficha” e se faça a luz: “Assim não dá!” Esta aparentemente singela expressão de sublevação para com o status quo foi, na verdade, a responsável – sempre que irrompeu – por dramáticas e históricas transformações. Deve ter sido dita por Einstein, algum tempo antes de resolver provar que, no universo, tudo é relativo. Pelo populacho, antes de acender o rastilho da Revolução Francesa. Pelos universitários também franceses, antes de pintarem de tintas revolucionárias a Primavera de Paris. Não esperem, no entanto,...
Gestão da Segurança Pública: buscando respostas novas para um problema antigo
“É preciso agir com mão firme!” “Com bandido não se negocia!” “É preciso ter leis mais duras!” “Pena de morte!” Diante dos fatos recentes em S. Paulo, nada mais natural que a Sociedade reaja “visceralmente”. Diante de uma ameaça iminente ou real, não dá mesmo para, candidamente, buscar o diálogo, a compreensão, as soluções de longo prazo. É preciso estancar a sangria, apagar o incêndio. No entanto, reações “viscerais”, emergenciais, são como analgésicos: até aliviam a dor, no momento, mas não impedem que ela volte, às vezes muito mais forte. Constituem o que se convencionou chamar de “curto caminho longo”:...
Gestão integrada: há algo de novo no front da educação brasileira
Imagine, em uma cidade qualquer, de pequeno ou grande porte, todos os atores da cena educacional – Secretário(a) de Educação, Diretores, Professores e os próprios estudantes – trabalhando juntos por um único objetivo: levar TODOS os alunos a obterem altos níveis de aprendizagem. Sonho? Não. Nos sistemas públicos de ensino de cidades tão diferentes quanto S. José dos Campos-SP (em uma das mais ricas regiões do Brasil) e Carbonita-MG (em pleno Vale do Jequitinhonha), o fantasma da má qualidade da educação vem sendo exorcizado, de forma extremamente eficaz. O milagre tem nome: SGI – Sistema de Gestão Integrado, uma metodologia...
< 2 3 4 5 6 7 >