VOCÊ É CARBONO NEUTRO? UM ROTEIRO SIMPLES PARA SER.
* Lúcio Fonseca
“Viver é muito perigoso” (Guimarães Rosa)

Só por estar vivo, cada um de nós está colocando em perigo o planeta. E nossa própria vida. Parece trágico, mas é verdade. A atividade humana é essencialmente geradora de gases nocivos, especialmente o metano (em grande parte oriundo dos rebanhos bovinos) e o dióxido de carbono – CO2, que contribuem fortemente para o aquecimento global.

Usar a eletricidade, consumir gás e deslocar-se de automóvel, ônibus ou avião são exemplos de formas diretas de emitir carbono. Mas elas são inúmeras. Comece pensando, por exemplo, no motoqueiro que entrega o seu jornal diariamente. Ou na quantidade de plástico que consome, em forma de sacolas de supermercado e embalagens de produtos.

O planeta não está suportando o estilo de vida altamente predatório do ser humano. Nós mesmos já estamos pagando um alto preço pela forma cômoda e ecologicamente irresponsável em que vivemos. As doenças respiratórias causadas pela poluição atmosférica, além da saúde, consomem R$ 600 milhões/ano, somente em S. Paulo. E isto é só um exemplo. Nossos filhos e nossos netos, como os filhos e netos de tantos, é que sofrerão mesmo. O que pensarão do nosso egoísmo, da nossa incapacidade de abrir mão de consumir tanto de tanta coisa supérflua, emitindo “cheques ambientais” que eles terão que pagar? E os outros seres vivos: temos o direito de, além de ameaçar a nossa, provocar também sua extinção?

O caminho mais correto é rever nossos hábitos de vida. Será que precisamos consumir tão desesperadamente para sermos felizes? REDUZIR (o consumo): é o primeiro passo. REUTILIZAR (salve o copo de requeijão!): o segundo. RECICLAR (coleta seletiva ajuda muito): o terceiro.

Um outro passo importante é fazer pequenas mudanças nos hábitos do dia a dia. Uma pessoa emite, em média, 7.000 quilos de carbono (ou equivalente) por ano e pode facilmente reduzir este montante, em proporções que ela mesma pode escolher conforme tabela abaixo.

O QUE FAZER QUANTO REDUZ

1%
1. Tirar da tomada 8 aparelhos que puxam energia no modo stand-by 53 k
2. Separar papel para reciclagem 70 k
3. Trocar 2 lâmpadas de 60 W e 75W por 2 de 13W e 19W 51 k
4. Reduzir banho de 10’ para 5’ 30 k
5. Computador em modo de espera, após 10’ inativo 42 k

5%
1. Usar ventilador e não ar-condicionado, se necessário 340 k
2. Trocar carro por transporte público, 2 dias por semana 320 k
3. Comer carne de boi apenas uma vez por semana 380 k
4. Usar sacolas reutilizáveis ao invés dos sacos plásticos de supermercado 380 k

50%
1. Usar somente álcool como combustível 3.000 k
2. Manter máximo de 100km / h ao dirigir na estrada 3.800 k
Fonte: Veja – novembro-2006

Agora que você “já mudou seus hábitos e reduziu sua emissão”, há outros passos a serem dados. Aquele processozinho que aprendemos no Primário – a tal de fotossíntese – ganha agora um valor estratégico. Segundo os especialistas, na média, 5 árvores em crescimento retiram 1 tonelada de carbono da atmosfera, por ano. E o processo ainda gera um subproduto pra lá de interessante: oxigênio puro.

Então, além de mudar hábitos, há que plantar árvores. Em profusão. Quantas forem possíveis… e mais! Mas, se você não pretende se transformar em um obcecado plantador de árvores, quantas, pelo menos, deve plantar por ano? A calculadora ambiental te diz exatamente. Respondendo a umas poucas perguntas, você recebe um cálculo estimativo bastante confiável. Experimente: http://www.thegreeninitiative.com/calculator/pt/calculator.php (o site é em português).

Depois de calculada a quantidade de árvores a plantar, é só colocar a mão na massa. OU NO MOUSE! Sim: se você não tem disposição para mexer com a terra ou não tem onde plantar (se resolver achar, até que acha: passeio em frente ao prédio, quintal da casa, sítio próprio ou de amigo, etc), cadastrando-se no site http://www.clickarvore.com.br/ e com um único clique de mouse, você dispara o plantio de uma muda de árvore nativa da Mata Atlântica. Gratuitamente! Uma por dia. Pode – e deve – fazer isto todos os dias (colocar o site como página inicial é um artifício para não esquecer). Se quiser ajudar mais, fazendo a coisa “por atacado”, você clica no link “Floresta paga” e, por R$1,20 por muda, pode mandar plantar quantas quiser. E ainda acompanha, virtualmente, como evolui o “mini-ecossistema” que você está ajudando a construir. Por ser ligado à ONG SOS Mata Atlântica e apoiado por grandes grupos empresariais, tudo indica que esta iniciativa pode ser considerada coisa séria (confira o site: http://www.sosmatatlantica.org.br/ ).

Recapitulando: se você, que, como eu, contribui para o aquecimento, quer resgatar (pelo menos em parte) sua dívida, o roteiro é simples:

a) reduzir/reutilizar/reciclar
b) mudar hábitos diários
c) calcular emissão pessoal de CO2
d) plantar número de árvores recomendado (diretamente ou virtualmente).

Em tempo: é claro que ninguém, sozinho, vai resolver o problema do planeta, mas vários “sozinhos” juntos já farão uma grande diferença. Imagine:

1. se você passa a ser carbono neutro;
2. se consegue transformar a sua em uma família carbono neutro;
3. se cada membro da família consegue sensibilizar sua escola para ser uma escola carbono neutro (imagine o tanto de aprendizagem e os benefícios que um grande projeto interdisciplinar com este mote pode trazer);
4. se cada membro da família fizer o mesmo com a instituição em que trabalha;
5. se…

O caminho das pedras está aí. A bola está conosco. Se Bush quiser, que nos siga.

PS: se resolveu colocar alguma coisa disto em prática e conseguiu algum avanço, não deixe de me avisar, para compartilharmos e celebrarmos.

Saiba mais sobre o assunto em:

www.florestasdofuturo.org.br/paginas/home.php

http://truths.treehugger.com/ (este é um site que contém vários pequenos vídeos sobre o tema; muito interessante e instrutivo; todo em inglês)

http://www.climatecrisis.net/ (site oficial do filme “An inconvenient truth”, de Al Gore, a mais importante análise do tema aquecimento global; lá você verá imagens do filme e pode ter a cesso a várias formas de contribuir para a redução; se for professor, clique em “download the free companion educational guide”, que contém roteiros muito interessantes de projetos a serem desenvolvidos na escola – você precisará fazer um pequeno cadastro gratuito; todo em inglês).

Informe-se. Aja. Todos necessitamos.

* Palestrante e Consultor
educacional e empresarial
lucio@luciofonseca.com.br
4 Comentários
4 Comentários
  1. Parabéns pela iniciativa colega e obrigado por compartilhar o texto.
    Irei usá-lo em aulas.
    Um grande abraço.
    Katia

  2. lúcio,
    parabéns pela matéria é um alerta para futuro de nossas crianças.Afinal temos de deixar algo pra eles.. vou repassar
    oslinks que deixou são ótimos não precisa ficar procurando,..

  3. Lúcio,
    Obrigado pela contribuição. Vou trabalhar o assunto na semana do meio ambiente. Vamos iniciar uma campanha de plantio de arvores para cada criança que nascer na cidade de Porto Velho – RO.
    Um abraço
    Antonio Lúcio

  4. Professor Lucio,

    Serei um fervoroso plantador de arvores na nossa fazenda.Tenho plantado mudas mas em muito empenho.A partir de agora serei mais enfatico especialmente nas frutiferas que servirao de alimento tb para passaros e outros animais que sofrem com o desmatamento na regiao.

Comente